JAIRO PEREIRA

Escute aqui:

napster.png
youtube.png
tidal.png
spotfy.png
itunes.png
deezer.png
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Spotify Social Icon
Segundo disco autoral de Jairo Pereira, Venha Ver O Sol, traz o afeto como antídoto para os tempos duros

Após iniciar o voo solo com o disco ‘Mutum’, em 2017, o “artivista” Jairo Pereira lança seu segundo álbum de composições autorais, ‘Venha Ver O Sol’ (set 2019), gravado no Estúdio Medusa e com a produção musical de Gabriel Catanzaro e Janja Gomes. São doze faixas solares - mesmo aquelas que tratam de temas duros como depressão, imposição de padrões e opressão - que trazem um olhar desperto e atencioso para as relações e trocas que temos diariamente, de um cafuné à um caos inesperado. Dessas faixas, três são poemas falados, característica marcante no trabalho do artista.

Sobre Jairo Pereira

Jairo Pereira, 43, é ator, rapper, cantor, compositor e poeta. Na carreira musical desde 1994, é um dos vocalistas da banda Aláfia que acaba de lançar seu quarto álbum ‘Liturgia Samba Soul'. Da sua experiência com a música, artes cênicas e a poesia nasceu, há 4 anos, seu trabalho solo. As composições falam de temas atuais e relevantes à nossa sociedade como: preconceito social e de gênero, intolerância religiosa, racismo, inclusão, amor e relacionamentos contemporâneos.
 

Iniciou no teatro em 1996, ao ingressar na Cia de Teatro “TUMC” da UMC (SP), onde atuou em peças como “Edmond” de David Mamet, com direção de Ariella Goldmann (Prêmio APCA). O teatro também o levou à França, por onde fez turnê com a Cia Parnas, da diretora Catherine Marnas. Seu último trabalho nos tablados foi a encenação no espetáculo “Terror e Miséria no Terceiro Milênio” (2019, com direção de Claudia Schapira). Em 20 anos como ator também trabalhou na TV, cinema e campanhas publicitárias. 

Com toda sua bagagem, energia e versatilidade, Jairo apresenta um show eletrizante, dançante e provocador, sempre interagindo de maneira intensa com o público.

Escute aqui:

É possível falar de opressão e amor numa mesma obra, com coesão? Jairo Pereira mostra em Mutum, primeiro álbum de seu projeto solo, que sim. A obra traz hip hop, jazz, reggae e poesia, fazendo uma ponte entre os embates sociais da atualidade e a importância do afeto no nosso cotidiano.

 

São 7 faixas  que contam ainda com a participação de artistas como Xênia França e Eduardo Brechó (Aláfia), Laylah Arruda (Feminine HiFi) e o saxofonista Vinícius Chagas, entre outros.

Saiba mais sobre o Artista/Downloads

Rua Marco Aurélio, 93 São Paulo Brasil - 11 983654135 / 11 21305046

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon