Rua Marco Aurélio, 93 São Paulo Brasil - 11 983654135 / 11 21305046

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

JOÃO PARAHYBA

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Spotify Social Icon
João Parahyba convida Marcelo Mariano e Marcos Romera

Comemorando 50 anos de carreira, João Parahyba, convida dois jovens 'veteranos', Marcelo Mariano no contra-baixo e Marcos Romera no piano, para uma noite de muito improviso e suingue. Nesse encontro inédito ele trazem temas próprios e clássicos do jazz e da música instrumental brasileira. Marcelo Mariano é hoje um dos grandes nomes brasileiros do instrumento, tendo gravado e acompanhado artistas como Djavan, Diane Reeves, Ivete Sangalo e Ed Motta entre outros. Marcos Romera é pianista, arranjador e produtor musical, e atua nas mais diversas áreas da música. Foi semifinalista do Prêmio VISA Eldorado de Música Instrumental e arranjador  do Prêmio VISA Eldorado. Escreveu arranjos para a Orquestra Jazz Sinfônica, apresentou-se na NAMM (Los Angeles) e no Montreux Jazz Festival (Suíça). Como músico convidado, tocou com Maria Rita, Billy Cobham e Vera Figueiredo, entre outros. 

Sobre João Parahyba

Um dos nomes mais importantes da percussão brasileira, João Parahyba está comemorando 50 anos de carreira. No final dos anos 1960, ele combinou a timba com uma bateria criando uma maneira única de tocar. Na mesma época fundou o Trio Mocotó, grupo que acompanhou e gravou com Jorge Ben Jor e Toquinho e Vinícius, além de ter lançado quatro álbuns e ser considerado um dos pais do samba-rock. Ainda com o Mocotó, gravou um lendário álbum com Dizzy Gillespie, relançado em 2010. A partir dos anos 1980, tornou-se um dos percussionistas brasileiros mais ativos, gravando e tocando com inúmeros artistas como Ivan Lins, Sivuca, Al Di Meola e Michel Legrand. Nos 1990, conheceu o produtor sérvio Suba (Mitar Subotic) de quem se tornou amigo íntimo. Dessa parceria veio seu primeiro álbum, Kyzumba, e também Futuro Primitivo, projeto experimental de percussão reprocessada. Parahyba também gravou em muitas produções de Suba, especialmente em Tanto Tempo, de Bebel Gilberto, e em São Paulo Confessions.

Em 2002, o Trio Mocotó fez seu grande retorno, gravando dois novos álbuns, Samba Rock e Beleza, Beleza, Beleza !, e realizando mais de trezentos concertos na Europa entre 2002 e 2006. Em 2011, lança seu segundo álbum, O Samba no balanço do Jazz, pelo Selo SESC. Misturando suas próprias composições com os 'standards' instrumentais brasileiros, o álbum homenageia os criadores do samba-jazz dos anos 50 e 60 (Zimbo Trio, Tamba Trio, João Donato...). Além de se apresentar com seu projeto instrumental, João Parahyba acompanha Ivan Lins, Toquinho e MPB4 no show de '50 anos de música'.